Digite o nome científico
     
 

Histórico

O Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais – PDBFF desde seu início em 1979, mantém estudos de longo prazo que entre outros objetivos procuram entender a dinâmica da comunidade de plantas em floresta de terra-firme na Amazônia Central. Esses estudos estão divididos em duas grandes linhas de pesquisas: 1) a mais antiga delas, que teve início juntamente com a criação do PDBFF investiga como a fragmentação da florestal afeta a comunidade de árvores; 2) e a segunda linha de pesquisa busca entender a dinâmica da vegetação em áreas de floresta intacta.
Resultados dessas pesquisas já mostraram como a estrutura e a dinâmica da floresta são afetadas com a fragmentação florestal. Mudanças drásticas nas taxas de mortalidade, recrutamento e dano de árvores estão entre as principais conseqüências da fragmentação do habitat (Laurance et al. 1998, Laurance et al, 1997). Essas mudanças são causadas principalmente em decorrência das alterações micro climáticas como, por exemplo, o aumento de temperatura e a diminuição da umidade relativa do ar (Camargo & Kapos 1995; Kapos et al. 1997) e o aumento da turbulência dos ventos em áreas próximas às bordas (Laurance 1991; Foster e Terborgh 1998).(Veja artigos da série técnica do PDBFF).
Além dos resultados sobre a dinâmica e estrutura da vegetação as pesquisas desenvolvidas pelo PDBFF também geram importantes informações sobre a flora da Amazônia Central. O PDBFF monitora periodicamente cerca de 225.000 plantas em 94 hectares de florestas. Através desses estudos já foram descobertas diversas espécies novas para a ciência e novos registros de espécies para a região. Atualmente, a ocorrência de aproximadamente 1200 morfoespécies de árvores distribuídas entre 70 famílias botânicas está registrada.